Engraçado o que foi preciso pra finalmente esse blog surgir, mas depois do que aconteceu ontem não poderia ignorar mais o fato de que a escrita já faz parte da minha vida, mesmo negando isso a tanto tempo.

Então me deparei com o seguinte pensamento: “Porque esse medo? De mostrar, expor, quem você é e o que você é, através daquilo que fica entre as palavras e o coração, entre a escrita e a razão”.

Cheguei a conclusão que para a libertação total da alma, do ser, do estar, do viver plenamente, surge quando nos livramos dos nós que nos atam as nossas crendices malucas e aos nossos “o que pensaram de mim?” ou ainda “não vou arriscar decepções mútuas!” daí então nos privamos de momentos que se fariam essenciais em nossas vidas.

Portanto só tenho a agradecer aos dias cheios de vida e descoberta que me foram permitidos ultimamente que me fizeram acordar pra mais uma das realidades que estavam o tempo todo na frente do meu nariz e que não podia ver pois um véu de “razão massificada” cobria meus olhos.

Isso é um pouco das idéias que me inundam agora neste momento de luz.

Agradecimentos que não poderiam passar em branco: a todos que estavam no show do Galdino ontem, a linda e iluminada Ro que declamou tão lindamente os trechos do poema, ao Galdino que me surpreendeu ao colocar o poema em Loa ao Luar, a todos que acreditam em mim e aos que não acreditam também, a todas minhas conquistas e a todos os meus fracassos. Sem estes não seria possível a existência desde blog e de outros tantos momentos em meus dias.

Ps: amanhã posto o poema do show! =)

Anúncios